Projeto inteligente garante acesso ordenado e seguro aos hospitais

O número de pessoas que circula diariamente em um hospital é grande. Grande também é o número de possibilidades de acesso: urgência, internação, centro cirúrgico, área administrativa, e por aí vai. Controlar o acesso correto a cada local é fundamental. Dentre os projetos desenvolvidos ao longo da construção, reforma ou ampliação de um estabelecimento de saúde, este é um dos pontos importantes a se trabalhar.

“Sabemos que um hospital é um organismo complexo em constante operação. Ao longo de um dia um grande número de pessoas passará por ali e os mais diversos serviços serão realizados. Médicos, enfermeiros, técnicos, funcionários, servidores, fornecedores, pacientes, visitantes, crianças, bebês, atendimento médico, serviços de hotelaria, lavanderia, restaurante, farmácia, diagnóstico, vigilância, estacionamento… O fluxo é intenso e durante 24 horas!”, ressalta a arquiteta da Pró Saúde Francine Soares.

Para que tudo ocorra de forma ordenada e em segurança, é preciso pensar no funcionamento do hospital como um todo, na necessidade e fluxo de cada local e na hierarquia, ou seja, qual local terá acesso mais limitado, por exemplo. Um projeto de controle de acesso elaborado por profissionais competentes pode garantir que esta engrenagem mantenha-se em movimento com segurança e eficiência.

Francine destaca que há inúmeras estratégias de controle de acesso que podem ser escolhidas pelos gestores hospitalares. “Podemos optar por crachás, tags adesivas, catracas inteligentes, leitura biométrica, portas eletrônicas controladas, entre outros. Analisando os procedimentos adotados no hospital e as características da equipe e do estabelecimento é possível elaborar um projeto que ofereça as melhores soluções e garanta a segurança de todos”, completa.

A também arquiteta da Pró Saúde Isadora Affonso acrescenta que um bom projeto de controle de acesso garante que as entradas e saídas sejam ordenadas sem que se perca a agilidade e a segurança no estabelecimento de saúde. “É essencial que se considere o funcionamento dos fluxos em casos de incêndios, calamidades ou outras emergências. Com uma equipe multidisciplinar formada por arquitetos, engenheiros, bombeiros, especialistas em segurança e profissionais da saúde é possível garantir que o controle de acesso esteja em acordo com todas as outras necessidades do hospital”, diz.

As arquitetas pontuam que uma das mercadorias mais valiosas do mundo atual é a informação. “Com um projeto de controle de acesso integrado aos sistemas de informação hospitalares é possível aumentar a quantidade de dados coletados pelo hospital. Os mecanismos de controle associados a softwares e tecnologia de ponta permitem a criação de bancos de dados completos e atualizados com informações sobre profissionais e pacientes, garantindo assim um funcionamento cada vez melhor da unidade”, destaca Isadora.

A excelência no atendimento é fundamental e garante outros pontos, como a acreditação hospitalar. “A questão da segurança patrimonial hospitalar é um dos pontos avaliados por alguns dos principais órgãos acreditadores, como a Organização Nacional da Acreditação (ONA), a Joint Comission International (JCI), e a Canadian Council on Health Services Accreditation (Acreditação Canadense). Um projeto de controle de acesso elaborado de forma inteligente possibilita aos gestores um maior domínio sobre o funcionamento do hospital e, consequentemente, uma qualidade maior para os serviços prestados”, conclui Francine.

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://prosaude.arq.br/wp-content/uploads/2018/03/interna-fundo.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 370px;}